Written by: Portugarte

SANCTUS NOSFERATU lançam novo tema

SANCTUS NOSFERATU regressam oito anos após o lançamento do LP “SAMCA” com o tema «1.E4», o mesmo foi misturado e masterizado por Tiago Alves (Anomally, Human Hate, Morbid Death, Palha D’Aço, Deem Index) nos Waveyard Studios.

SANCTUS NOSFERATU

SANCTUS NOSFERATU regressam oito anos após o lançamento do LP “SAMCA” com o tema «1.E4», o mesmo foi misturado e masterizado por Tiago Alves (Anomally, Human Hate, Morbid Death, Palha D’Aço, Deem Index) nos Waveyard Studios. A sonoridade thrash metal do tema ganha uma nova dimensão, abrangência e envolvência com as fantásticas dinâmicas clean/gutural de David Pais,  «1.E4» é o single promocional do futuro EP de SANCTUS NOSFERATU sem data de lançamento ainda prevista.

«1.e4» 

(digital single 02.01.2021) 

Oito anos depois voltamos a falar à tripulação. Como para muitos que se movimentam neste terreno  movediço da música extrema insular, o período que separa «Samca», o nosso disco de estreia, e este  single é urdido de uma titânica luta para manter a chama acesa. Não que estivéssemos dependentes de  uma agenda – e muito menos de dízimos -, mas a vida prossegue, como a trajectória fortuita e  imponderável de fenómenos cósmicos. 

Este hiato não foi ocioso, nem pouco mais ou menos. Quanto muito irregular. Em 2015 já tínhamos um  punhado de temas prontos a serem gravados e constituir um lançamento mais alargado. Em ambiente  “artesanal”, como quem diz home made, o núcleo dos Sanctus Nosferatu começou a captar seis novas  composições com vista a um EP que brindasse os seus seguidores com mais uma hipótese de banda sonora para passear a qualquer sítio. “O Félix e o Nuno não se cansam de escrever. Pela distância física  que nos separa, mantive-me à margem. No entanto, depois do «Samca» sair já havíamos ensaiado estes  temas e uma boa parte deles já tinha a configuração bem definida. Com a mudança nas nossas vidas  pessoais, determinámos que uma gravação teria que partir de nós. Adquiri algum equipamento e fizemos  tudo com a modéstia de quem reconhece a sua condição e com o conhecimento dos leigos. Em longas e  intermináveis semanas, captámos os temas, só e apenas quando a vida nos permitia. Com a  responsabilidade de cada um fazer devidamente o seu trabalho de casa, os temas foram tomando forma – e outra forma, e mais outra – à medida que a pré-produção nos dava uma nova pespectiva dos temas – para melhor. O ambiente foi sobretudo digital – a bateria tive que escrevê-la em MIDI, mas saiu  exactamente como queria. Com o passar do tempo, alguns companheiros de ‘armas’ tiveram que se  afastar – queremos acreditar que nunca definitivamente, as portas nunca se fecham à família. Obrigado  Félix, obrigado Camila. Bem-vindo Ruben. Restabelecidos desse ‘murro no estômago’, decidimos que era  impossível deixar tanto suor simplesmente dissipar-se no ar. Mas obrigou-nos a ajustes. Os ajustes são  apenas no formato e não na forma. Um single, uma amostra pujante e vigorosa da música que andámos  a fazer.” 

Quem nos iluminou o caminho: “Vizinho de ilha, de arquipélago. Tiago Alves, o tipo que sente isto há  muitos anos como poucos e que não se cansa. Os Waveyard Studios têm sido o seu templo. Ilha  Terceira, o single viajou para lá já em finais de 2020. Não esperávamos dele outra coisa: eficácia,  competência, entusiamo, contributo. Colocou-nos o tema a pesar mais umas quantas toneladas! 

Envolveu-se no tema até em outros patamares – gráficos, nomeadamente. ‘Não dormiu’ até nos devolver  o tema e dizer ‘ok, agora dêem-me o resto, o que falta’.” 

O que faltava: “Camila, foste, se não o maior, talvez dos maiores símbolos da banda. Não só pelo talento,  mas também (sem qualquer ponta de machismo) pela forma como destruías completamente as ondas  hertzianas com o teu vociferar. Ainda é ínfimo o contingente feminino na música extrema, mas ela era um  claro e representativo indicador de que elas devem estar ao poder! Não foi possível, muitos vão  estranhar, mas tivemos que continuar.” 

Até onde fomos: “Viajámos quase 2.000 quilómetros, no sentido figurado. Senhor David Pais. É jovem,  mas parece-nos um senhor. Sullen, Ashes, Subversive, Tó Pica, One Hundred And Twenty, Soundslave  (deve haver mais alguma). O homem não se cansa, muito menos dorme. Está aí alguém? Como sempre,  sim! Conheço-o desde os meus tempos de jornalista e audiófilo, salve seja. Conhecia a peça e a sua  doentia paixão pela música. Talento? Escuso-me a falar. Quando pensámos numa solução para a  ausência da Camila, tínhamos alguns ponderáveis, como tinha que ser, para salvaguardar algum  imprevisto, mas nenhum cumpria tanto os requisitos como o David. Fazíamos figas para que ele tivesse  um espacinho na sua alvoraçada agenda. Ora, o homem que não dorme precisou só de alguns dias,  estava só a acabar as férias. Atirámo-lo com o tema e ele fez o resto, letra e tudo – tal qual  imaginávamos, ou talvez não, superou as expectativas. Conhecíamos o seu background e sabíamos do  que era capaz. Sabíamos da sua capacidade camaleónica e foi isso que nos deu – um toque moderno,  poderoso, fresco, irreverente e afiado como uma lâmina. Não poderíamos esperar melhor. Estamos  deslumbrados. Só nos cobrou a amizade! Obrigado.” «1.e4» é o resultado que orgulhosamente agora vos apresentamos. Em formato single digital (a  disponibilizar brevemente nas principais plataformas para o efeito) é a súmula de cinco anos de muita  luta. Estamos diferentes? Nem por isso. Sempre nos “prostituímos” em nome da boa música, venha ela  de onde vier. Quem nos conhece e nos viu crescer sabe que a música é muito mais do que  fundamentalismo – é liberdade. Qualquer um dentro da banda é capaz de arrastar a asa a uns Cradle Of  Filth, Dream Theater, Symphony X, Textures, Behemoth, Anathema, entre tantas, mas tantas outras que  nos dão tantas faces belas da mesma moeda. Este tema representa apenas uma parte do que somos.  Foi difícil escolher, mas para já é um bom símbolo da nossa identidade. Quanto ao enigmático título,  basta juntarem as “peças”. Algum palpite?



Biografia SANCTUS NOSFERATU

Fundada em 2002 por Nuno “Terceirence” (baixista) e Hélder Andrade (guitarrista) com uma sonoridade virada para o thrash metal.  

No verão de 2006, com as entradas de Camila “Morticia” (voz gutural e limpa) e Nelson Felix a sonoridade da banda passou a enquadra-se num Black/Death Metal. Os Sanctus Nosferatu lançam em 30 de Novembro de 2006 a promo-track “Revelation”. Em Dezembro de 2006 assinam contracto com a PJ – Prods & Management para divulgação, promoção e distribuição do nome e material da banda (no continente europeu e norte-americano) e com a Anaites ZDP (distribuidora e promotora no Brasil e continente sul-americano). Em 2007 foi lançada no Brasil uma edição limitada da promo-track “Revelation” tendo a sua venda superado as expectativas. A banda participou ainda nas Compilações “Circulo de Fogo – Ataque I” “Anaites ZDP Rec. / PJ Prod´s Vol. III” e “Headbangers Metal Reunion Vol I”.  

No ano 2009 vencedores do VI Concurso de Musica Moderna da Ribeira Grande. 

Em 2010, os Sanctus Nosferatu iniciaram a gravação do LP “SAMCA” com Ruben Moniz, nos estúdios Neburrecords, em S. Miguel [Açores] que ficou concluido em 2012.

Durante os anos seguintes Sanctus Nosferatu alteraram o seu line-up compondo novos temas e iniciando as gravações ,dos mesmos, de onde surgiu o single «1.E4». 


Elementos SANCTUS NOSFERATU

o Nuno Carreiro – Baixo 

o Ruben Ferreira – Guitarra 

o Nuno Costa – Bateria 

o David Pais – Voz convidada  


Discografia SANCTUS NOSFERATU

o “Revelation” [promo-track 2006]; 

o “SAMCA” (LP 2012) 

o «1.E4» (single 

Distribuidoras/Editoras: 

o M.V.C.S. Prod/Distro (www.mvcsprodistro.blogspot.com) – Brasileira; o Anaites ZDP Prod/Distro (www.anaites-distro.com) – Brasileira; o Music Reunion Prod/Distro – Brasileira; 

o PJ Prod´s & Management – Portuguesa. 


Compilações

o Nobilis Metallum – Two Sides of Lusitanian Heaviness. Heavy & Melodic CD  1, Obscure & Extreme CD 2.  

o Headbangers Metal Reunion Vol I  

o Lançamento nos EUA, Polónia, Portugal e Brasil 

o http://valrock.br.blogspot.com/2008/01/apoio.html 

o Anaites ZDP Rec. / PJ Prod´s Vol. III 

o Lançamento no Brasil e Portugal 

o http://www.anaites-distro.com/catalogo.html 

o Círculo de Fogo Ataque I 

o Disponível para download 

o http://circulodefogo.inforzone.com/compilaçãocdf001.htm

Revistas: 

o Elegy Ibérica 

o Elegy Ibérica #7 + CD Sampler #46 o Loud! 

o Loud! Ano VII – Maio 2007 

o Metal Bit IX 

o Metal Bit IX Ano I – #1 – 2007 

o Loud! o Loud! Ano VIII – Março 2008


Redes sociais dos SANCTUS NOSFERATU


Apoia a Arte Independente

Gostaste deste artigo e queres apoiar o Portugarte?
Podes apoiar-nos com um simbólico café! Segue este link para que continuemos a divulgar o melhor da arte independente.

A arte independente nacional agradece e nós também!


(Visited 14 times, 1 visits today)
Etiquetas:, Last modified: Fevereiro 18, 2021