seteoitocincoWritten by: Portugarte Qual o teu seteoitocinco?

Qual é o teu seteoitocinco? #3 – Museum Museum

A seteoitocinco volta a espalhar charme pelo Portugarte, como é habitual às Sextas-feiras e desta vez convida os Museum Museum.

museum museum

A seteoitocinco volta a espalhar charme pelo Portugarte, como é habitual às Sextas-feiras e desta vez convida os Museum Museum.

Conhece o mundo encantado do duo de Setúbal, que acenta a sua musicalidade entre a pop e a música clássica, com um piano, uma guitarra e duas vozes muito bonitas.

museum museum

Museum Museum

My Grandmother’s Words é o título do primeiro tema que o universo recebeu em 2018 e esta canção marcou a estreia do duo Museum Museum. Corria o ano de 2018 e os dados geográficos apontavam a cidade de Setúbal.

Marta Banza e Miguel Reis declaravam-se com uma valsa para se pronunciarem e, poucos meses depois, lançaram o seu  segundo tema, By The End. Estava aqui, a melodia que nos oferece uma doce imagem bem descritiva sobre um milagre em tom de balada.

Bare Me Raw é a nominação do 1º registo, com 6 porções distintas de uma imaculada postura musical, que foi publicado em Março de 2019 e é obrigatório exprimir o quanto deve este álbum ficar para a história.

Para o entendermos melhor, questionámos aos dois tudo o quanto existe de bonito por dizer, na esperança de os voltarmos a ter… em  2021.  

Sete espaços onde sonham tocar

  • Tivoli
  • Theatro Circo
  • Gulbenkian
  • Bons Sons
  • Teatro Cinema de Fafe

“Não nos ocorre mais nenhum especificamente, mas qualquer local envolto em natureza e num ambiente íntimo, parece-nos um local de sonho.”

Oito músicas que os dois, consensualmente, apreciam?

Cinco projectos/artistas com que gostavam de dividir palco?

  • The Swell Season
  • Júlio Resende
  • Rodrigo Leão
  • Patrick Watson
  • Kimbra

“É difícil escolher… Damos 5 exemplos de artistas que nos inspiram, mas o importante para nós é partilhar o palco com quem vive a música genuinamente, seja de que género for.”

Digam-nos uma ideia que possa ser aplicável e capaz de contagiar as pessoas a olhar, um pouco mais, para a música nacional?

“Sentimos que umas das coisas que cria afastamento entre as pessoas e a música nacional é a pouca valorização da diversidade de artistas que já existe em Portugal, mas que não conseguem aquela “janela de oportunidade” para se darem a conhecer.

No fundo, isto poderia combater-se com mais programas como o “Elétrico” (RTP) e menos como o “The Voice” (RTP). Aplicar o conceito, por exemplo, às várias regiões de Portugal para, inevitavelmente, abranger artistas que têm muita qualidade mas não furam no mercado. A ideia, no fundo, é que quanto mais de nós mostrarmos, mais será consumido. Educar sem ser condescendente, habituar sem forçar.”

Playlist

Nesta edição número 3, colocámos três questões aos Museum Museum e acrescentámos um desafio para uma resposta solta. Este foi o testemunho de retorno das elegantes e deleitáveis suas palavras.

Bem vindos ao universo que sonoriza a natureza dos Museum Museum

1) Museum Museum – By The End (‘Bare Me Raw’ – EP / 2019)

2) Daniel Johnston – Story of an Artist (‘Don’t Be Scared’ – LP / 1982)

3) The Chariot – Speak (‘One Wing’ – LP / 2012)

4) Museum Museum – Melting Clocks (‘Bare Me Raw’ – EP / 2019)

5) Benjamin Clementine – The People and I (‘At Least For Now’ – LP / 2014)

6) Jay Jay Johanson – Laura (‘Cockroach’ – LP / 2013)

7) Joe Hisaishi – One Summer’s Day (‘Encore | Spirited Away’ – 2002)


Apoia a Arte Independente

Gostaste deste artigo e queres apoiar o Portugarte?
Podes apoiar-nos com um simbólico café! Segue este link para que continuemos a divulgar o melhor da arte independente.

A arte independente nacional agradece e nós também!


(Visited 20 times, 1 visits today)
Etiquetas:, , , , Last modified: Fevereiro 19, 2021