seteoitocincoWritten by: Em Destaque Portugarte Qual o teu seteoitocinco?

Qual é o teu seteoitocinco? #16 – Juseph

Juseph

Passaram-se 6 anos, desde que ‘Novae’ o EP de estreia de Juseph foi cuspido de Vale de Cambra para o cosmo. Foi imenso tempo para ver chegar o 1º álbum ‘Óreida’ (Fevereiro, 2019) e a verdade é que podia nunca ter chegado. A SeteOitoCinco tem a certeza que há imensas boas ideias perdidas e outras quedas precoces, de tanta gente com algo para dar, mas nenhuma revelação como esta existe, vinda do mérito de quem, por nada, desiste.

Juseph

Este é um dos brilhantes LP’s nacionais da década e é a causa da nossa chegada às 3 perguntas da série comunitária, que selamos com a Portugarte e que ao comum do planeta intencionamos fazer chegar.

Sete espaços onde sonham actuar.

Com a pandemia o sonho passa mesmo por voltarmos a tocar de forma livre e a sentir o púbico, seja onde for. Ainda assim, e sonhando um pouco mais, aqui vai …

  1. Roadburn Festival, Holanda
  2. Dunk!Festival, Bélgica
  3. ArcTanGent, UK
  4. Hellfest, França
  5. Saint Vitus Bar, Nova Iorque, USA
  6. Desertfest, UK/Alemanha
  7. VIVID, Noruega

Oito músicas que todos, consensualmente, apreciam?

Atualmente cada um de nós ouve, absorve, géneros e projectos muito diferentes, mas enquanto banda acabamos por convergir com muita facilidade para aqui. Não escondemos as nossas influências.

  1. “So Did We”, ISIS
  2. “Finland”, Cult of Luna
  3. “To Carry the Flame”, Old Man Gloom
  4. “Calla”, Russian Circles
  5. “Image of Control” Sumac
  6. “Backlit”, Kowloon Walled City
  7. “Pneumonic”, Jakob
  8. “Drought”, Pelican

Cinco projectos/artistas com que gostavam de dividir palco?

  1. Sumac
  2. Cult of Luna
  3. This Will Destroy You
  4. Russian Circles
  5. Old Man Gloom


Pergunta solta: Digam-nos uma ideia que possa ser aplicável e capaz de contagiar as pessoas a olhar, um pouco mais, para a música nacional?

Este é um tema muito delicado e complexo. Para começar seria bastante importante estimular o interesse pela cultura nos jovens desde cedo, nas escolas, para que as novas gerações naturalmente tivessem curiosidade de descobrir e consumir o que é nosso. Seria uma mudança exigente… mexe com muita coisa, sobretudo com as prioridades do ensino no nosso país, em que a arte, seja ela qual for, é sempre vista como um desvio no percurso escolar e raramente como um elemento chave para a construção de uma sociedade mais criativa, crítica e pensante.

Apesar de tudo, no que diz respeito à música, achamos que já existe um progresso na valorização da música portuguesa pelos portugueses. Temos festivais onde figuram alguns dos nossos artistas, outros até têm um cartaz composto só de nomes nacionais. Programas como o “Eléctrico” num canal público acrescentam sempre valor, cativam e ajudam a conhecer mais do que se faz por cá. Mesmo toda a atenção dada ao Festival da Canção, do qual os portugueses estavam desligados antes do Salvador Sobral ganhar a Eurovisão, é só mais um sinal desse progresso e orgulho no que é nosso.

Agora, existe uma outra parte da nossa música e cultura que é colocada de lado – o underground. Este é o ponto em que logicamente nos sentimos inseridos, e enquanto promotora, talvez a própria SeteOitoCinco.

Era muito bom existir algo que envolvesse a comunidade de uma forma séria, sem preconceitos e tendenciosismos, que servisse não só para dar a conhecer bandas, como também todos os meandros do meio: palcos, promotoras, estúdios, editoras nacionais, etc. Um projecto quase educativo sobre esse lado da música em Portugal. Quem faz, como fazem, onde gravam, quem divulga, como divulgam, ondem tocam? Provavelmente num formato série documental, programa de rádio, podcast, canal do YouTube, ou uma mistura de todos. Algo dinâmico e de informação contínua. E sim, sobre o underground! Já existem artistas alternativos bem servidos de meios.

Playlist de Juspeh


Sejam bem vindos ao macrocosmo especial alojado no seu núcleo.

1) Juseph – Mist Hardships (‘Óreida’ – LP / 2019)

2) Russian Circles – Calla (‘Guidance’ – LP / 2016)

3) Jakob – Pneumonic (‘Solace’ – LP / 2006)

4) Juseph – Theodora (‘Novae’ – EP /2013)

5) Kowloon Walled City – Backlit (‘Grievances’ – LP / 2015)

6) Old Man Gloom – To Carry The Flame – ‘No’ – LP / 2012

7) Pelican – Drought (‘Australasia’ – LP / 2003)

(Visited 62 times, 1 visits today)
Last modified: Maio 21, 2021