Written by: Qual o teu seteoitocinco?

Qual é o teu seteoitocinco? #12 – Troll’s Toy

Troll’s Toy é uma banda nascida dentro do espaço do jazz, mas que se fundiu com outros tempos. Com guitarras bordadas de rock e baterias cheias de texturas polirrítmicas, o grupo aveirense enche-nos os ouvidos com uma confusão muito bem vinda.

A seteoitocinco é uma produtora de concertos sediada no Porto e traz-nos, todas as Sextas-feiras, uma banda portuguesa para tu conheceres melhor.

Trolls Toy

Com lançamento agendado para Junho, Eksterordinare irá ser o segundo álbum de fusão jazzística que os aveirenses Troll’s Toy vão avançar para o planeta do experimentalismo da música dita de artefactos. A segunda fase que envolve a mistura e fabrico deste registo que se vai adivinhar, pode ter a tua ajuda através da plataforma de CROWDFUNDING, para que o próprio projecto possa conseguir efectuar o seu lançamento.

18:05 chegou até ao nosso planeta no ano de 2019 e para além de ter sido o álbum de estreia, foi também um dos registos mais biónicos sobre o Rock a discursar qualitativamente sobre o mundo do Jazz que se viu lançar nos últimos tempos. As perguntas certas da SeteOitoCinco estavam em modo expectante e as respostas chegaram até à Portugarte num tom de avença límpida.

Sete espaços onde sonham actuar:

  • Sala de estar do Herbie Hancock
  • Anfiteatro de Pompeia
  • The Baked Potato (Los Angeles)
  • Auditorio Nacional de Madrid
  • Estação de Metro Arbatskaya (Moscovo)
  • Cidade Proibida (Pequim)
  • Casa de Chá do Parque Infante D. Pedro (Aveiro)

Oito músicas que todos, consensualmente, apreciam:

Cinco projectos/artistas com que gostavam de dividir palco:

  • Mike Patton
  • Mário Laginha
  • Devin Townsend
  • Wayne Shorter
  • Hermeto Pascoal.

Digam-nos uma ideia que possa ser aplicável e capaz de contagiar as pessoas a olhar, um pouco mais, para a música nacional:

“Antes de mais achamos que a música deve ser olhada como uma linguagem universal, independentemente do lugar onde é produzida. Uma pessoa que seja exposta ao melhor que se faz na cultura anglo-saxónica, mas em simultâneo saiba que se faz tão bem ou melhor em lugares como a América do Sul ou o Médio Oriente, vai naturalmente chegar à conclusão de que em Portugal se faz óptima música.

Sabemos que as crianças têm a mente aberta para qualquer coisa que produza som ou ruído e reagem a isso, e como tal não nos entra na cabeça que alguém diga que o “público”, essa entidade abstracta, quer consumir esta ou aquela fórmula. As pessoas querem ser surpreendidas mas estão a ser alimentadas com uma dieta cultural muito limitada.

Isso é responsabilidade dos media que, na sua esmagadora maioria, preferem a conveniência de uma linha de montagem em detrimento de uma política de sensibilização e educação de públicos para diferentes linguagens artísticas. Aos artistas é dito que sobram poucas alternativas que não sejam criar conteúdos para alimentar essa máquina, e quem não o faz é apelidado de louco. Nós achamos que louco é o caminho que se está a trilhar. Como tal, defendemos qualquer acção que seja no caminho da diversificação da oferta.”

Playlist de Troll’s Toy

1) Troll’s Toy – Aveiro (’18:05′ – LP / 2019)

2) David Bowie – Lazarus (‘Blackstar’ – LP / 2016)

3) Bernardo Sassetti – Reflexos (‘Nocturno’ – LP / 2002)

4) Troll’s Toy – Mandatory Eight Count (’18:05′ – LP / 2019)

5) Rush – Tom Sawyer (‘Moving Pictures’ – LP / 1981)

6) John Scofield – Trio Blues (‘This Meets That’ – LP / 2007)

7) Allan Holdsworth – City Nights (‘Secrets’ – LP / 1989)



Apoia a Arte Independente

Gostaste deste artigo e queres apoiar o Portugarte?
Podes apoiar-nos com um simbólico café! Segue este link para que continuemos a divulgar o melhor da arte independente.

A arte independente nacional agradece e nós também!



(Visited 88 times, 1 visits today)
Etiquetas:, , Last modified: Abril 30, 2021