PauloWritten by: Artes Tatuagens

A expressão corporal artística de Keyser Söze Söze

Aventuramo-nos assim a descortinar o simbolismo e o significado por detrás da sua arte corporal de Jennifer Söze Söze.

Keyser Soze Soze

Keyser Söze Söze é o alter-ego de Jennifer Jesus. Tal como as reminiscências do filme “Suspeitos do Costume” (1995) sugerem-nos, a sua arte não é bem o que parece que é. Aventuramo-nos assim a descortinar o simbolismo e o significado por detrás da sua expressão corporal.

Keyser Söze Söze entrou no mundo das tatuagens há cerca de meia década atrás. Rapidamente, o gosto por ser tatutada transferiu-se a uma necessidade de ela própria tatuar. Nota-se assim o chamamento a uma expressão artística que não pode ser simplesmente adquirida mas que se materializa num paralelismo corporal: o que corpo recebe, o corpo dá.

A artista começou assim a aventurar-se numa semi-profissionalização nesta área, sendo que a exerce profissionalmente há mais de um ano. O seu estilo de tatuagem enquadra-se no “ignorant style” e é realizado através da técnica de transformação handpoke.

Tribalismo, ilustração e handpoke

Se as “clássicas” tatuagens, realizadas por uma máquina, transportam-nos a um universo mais ortodoxo, o que nos propõe Keyser Söze Söze é precisamente o contrário. A fuga à “maquinização” da arte, sendo que, tal como anteriormente referido, a sua expressão corporal encontra as suas bases no handpoke. Esta técnica, realizada à mão com uma agulha ponto por ponto, é menos invasiva e remete-nos a um tribalismo urbano, não tão comum entre o “mainstream” dos tatuados e tatuadores/as.

Para Keyser Söze Söze, a arte de tatuar não se restringe a um “copy-paste” de desenhos que encontram maioritariamente num lugar comum do imaginário social. Assim sendo, a tatuadora trabalha maioritariamente com criações ilustrativas suas. Apesar disso, o mundo artístico de Jennifer Jesus não se limita às criações do seu próprio ego sendo que a mesma se encontra aberta a trabalhar com propostas trazidas pelos seus clientes.

Claro que, de forma a obter uma unicidade no desenho tatuado, é-nos sempre trazida uma positiva influência do seu estilo, por parte da tatuadora, ao desenho em questão. Até aos dias de hoje, a artista nunca encontrou uma razão para recusar uma ilustração proposta por terceiros. Contudo, mantem uma forte postura antifa, sendo que se recusa veementemente a tatuar qualquer ilustração que represente uma opressão a terceiros.

Academia e aceitação social das tatuagens

No século XIX, o sociólogo Lombroso propôs uma já ultrapassada epistemologia de analisar o corpo humano e, neste caso, os significados por detrás das tatuagens. O académico defendia assim que determinadas tatuagens encontravam-se associadas a actos criminosos.

Felizmente o trabalho deste autor acabou por ser totalmente describilizado, dando espaço a uma nova geração de sociológos que dissecam este objecto de estudo de uma forma antitética ao italiano. A título de exemplo, Jennifer Jesus é uma sociológa e defendeu a sua tese de mestrado, de título “Corpo Diplomático»: Punk e modificação corporal” (2015), pela Universidade de Coimbra.

Embora os tempos estejam a mudar, os não-ortodoxos objetos de estudos académico nem sempre são tomados a merecida e devida credibilidade. E o mesmo acaba por passar no âmbito social, onde ainda existe um preconceito que prevalece relativamente a esta escolha estética. Keyser Söze Söze explica-nos que:

“Infelizmente o preconceito relativamente às tatuagens e aos body piercings é algo ainda presente na nossa sociedade. Apesar de cada vez mais pessoas adornarem o seu corpo com tatuagens, elas têm de as ter escondidas ou fazer em sítios discretos. Também acho que o tipo de desenho, o sítio e a quantidade são factores determinantes na aceitação. Se tiveres uma frase em linha fina no pulso, por exemplo, não irá ter o mesmo impacto do que um braço todo tatuado. Com os piercings acontece o mesmo. Um piercing no nostril é algo que começa a ser bastante aceite. No entanto, se tiveres um bridge ou um microdermal dificilmente irás poder trabalhar com ele”.

Apesar de tudo, nota-se alguma evolução relativamente à mentalidade tacanha de alguns anos atrás.

A mudança social, e a consequente percepção relativamente ao estado das coisas, é gradual e toma o seu tempo. Assim sendo, Keyser Söze Söze acredita que “apesar das condicionantes laborais (que para mim são as mais graves), a nível dos olhares dos outros na rua, as coisas têm vindo a melhorar. Antes tinha pessoas a passar por mim, a fixar o olhar e até fazer comentários negativos. Hoje em dia recebo elogios e as pessoas mais velhas cada vez mais se aproximam”.

A tatuadora acrescenta ainda que algumas pessoas de gerações antigas fazem-lhe perguntas, maioritariamente sobre as tatuagens que têm flores. Existe assim, a nosso ver, uma mística emocional conexão entre a natureza e o ser humano, que atravessa todas as gerações humanas. E, das várias tatuagens que possui Keyser Söze Söze, não é à toa que é inquirida especificamente sobre as flores.

Para além disso, o grupo norte-americano Dropkick Murphys imortalizou a importância da tatuagem de uma “Rose Tattoo“. Nesta maravilhosa interpretação, a banda remete-nos a uma antiga essência irlandesa, de outros tempos que já não o são:

Desta forma, tal como a aceitação social deste tipo arte, e a consequente aceitação desta tipo de ilustração dentro do âmbito artístico, os estilos de tatuagem multiplicaram-se (ramificando-se assim muito para além do tribal, old/new shcool e japonês) e tal levou um crescimento gigante da oferta.

Por último, terminamos este artigo com uma importante reflexão da artista:

“Tentei sempre olhar para o corpo como um suporte identitário durante a minha dissertação e agora que sou a pessoa que faz as marcas corporais sinto ainda mais isso. As pessoas procuram marcar momentos, ideais, gostos, ou mesmo quando querem uma tatuagem só por estética isso também reflecte alguma coisa, reflecte o seu estilo e a sua identidade , mesmo que não de uma forma planeada ou com essa intenção . Há sempre uma história por detrás de cada tatuagem, mesmo que a escolha da mesma seja só estética”


Queres tatuar-te com a Keyser? É só escrever-lhe!


(Visited 21 times, 1 visits today)
Etiquetas:, , , , , , , , Last modified: Março 10, 2021